Com crescimento de mercado, empresa revê aportes inicialmente programados para 2015 em R$ 25 milhões

Uma das estratégias adotadas pela Embaré é a exploração de novos mercados, como Triângulo e Sul de Minas/Divulgação

Uma das estratégias adotadas pela Embaré é a exploração de novos mercados, como Triângulo e Sul de Minas/Divulgação

A Embaré Indústrias Alimentícias S/A, com sede em Lagoa da Prata (Centro-Oeste), encontrou na crise uma oportunidade de crescer. Com a estratégia de prospectar mercados, a empresa tem ocupado áreas antes dominadas por empresas que estão com dificuldades no atual cenário econômico. Dessa forma, já fechou o primeiro trimestre com alta superior a 15% no faturamento e vai mais que dobrar o aporte previsto para o ano. Em vez dos R$ 25 milhões inicialmente programados para 2015, serão investidos R$ 60 milhões neste ano.

“Nossa previsão é crescer 15% neste ano frente ao ano passado. Mas no primeiro trimestre tivemos o desempenho um pouco superior a isso. Não chegou aos 20% mas supera o projetado”, afirma o diretor-presidente da empresa, Hamilton Antunes.

O resultado positivo, em um momento em que a economia está em baixa, se justifica pelo sucesso da estratégia adotada pela empresa. A principal delas é exploração de novos mercados, com destaque para cidades do Triângulo Mineiro e Sul de Minas. Fora do Estado, a Embaré também tem buscado conquistar mais espaço nas regiões Norte e Nordeste. “O crescimento nos mercados onde já atuávamos está baixo, mas quando acrescentamos uma base de novos clientes os resultados ficam muito mais positivos”, explica.

Lacunas – E o que mais colabora para a entrada em novos mercados é o fato de o país estar em crise. Isso porque algumas empresas do ramo acabam saindo do mercado por não estarem financeiramente preparadas para o mau momento econômico. Dessa forma, são abertas lacunas no mercado que podem ser preenchidas pelos grupos mais capitalizados.

Com o cenário otimista, a empresa deverá fazer aportes maiores do que o previsto. Em um primeiro momento o planejado era investir R$ 25 milhões para diversificação do mix de produtos e aumento da eficiência energética por meio de equipamentos que geram gás metano para utilização em caldeiras.

Mas agora o plano foi revisto para R$ 60 milhões. Com a capacidade produtiva praticamente no limite, o projeto de expansão para novos mercados depende de aumento de produção. Por isso, as inversões deverão ser mais elevadas. “Nossa aposta agora é no aumento da eficiência dentro da companhia. Para isso vamos investir na infraestrutura da fábrica com compra de novos equipamentos e implementação de processos”, afirma Antunes.

Exportações – Caso a situação da empresa permaneça no patamar atual, com um crescimento próximo a 15%, não corre nem o risco de o investimento ser revisto. Até porque esse aporte é o que garantiria a expansão de mercados. Até mesmo há um esforço para se alcançar novos clientes no mercado externo. A medida é necessária para substituir mercados que estão reduzindo o consumo, como a Rússia que diminuiu a compra de produtos da Embaré nos últimos meses. A expectativa é que seja vendido para o exterior um volume perto de 4,5 mil toneladas neste ano. Ou seja, a mesma quantidade apurada em 2014.

Com relação ao faturamento, a empresa deverá registrar uma alta de 15% frente ao resultado de R$ 1,008 bilhão de 2014. O montante de matéria-prima utilizada deverá fechar a 650 milhões de litros de leite, volume 11,69% superior aos 574 milhões gastos em 2014.

Fonte: Diário do Comércio (http://www.diariodocomercio.com.br/noticia.php?tit=embare_decide_investir_r_60_milhoes&id=152880)