Já falamos anteriormente dos diferentes tipos de açúcares extraídos da cana que encontramos no mercado, seus prós e contras. Mas existem ainda açúcares extraídos de outras fontes. Exemplos são a frutose, extraídas da fruta ou do mel, que tem um poder adoçante 30 vezes maior que o açúcar de cana comum, muitas vezes sendo utilizados até por diabéticos, por ter uma absorção mais lenta e ser usada em menor quantidade. Porém o excesso pode ser transformado facilmente em gordura, então utilizá-la como adoçante para alimentos pode não ser uma boa estratégia, já que a frutose já é consumida naturalmente nas frutas.
Há ainda uma novidade inovadora chegando ao mercado: o açúcar de coco. Derivado da palmeira de coco, é uma opção natural, muito nutritiva e que possui baixíssimo índice glicêmico se comparado aos outros açúcares, o que faz com que esse açúcar seja absorvido bem lentamente, sendo uma promessa para dietas de emagrecimento e diabetes. Porém ele deixa um sabor residual bem marcante, uma desvantagem para quem não gosta muito de coco. É ainda uma opção bem cara por ser uma novidade inovadora, mas pelos seus benefícios, o investimento vale a pena.

Dica elaborada pela nutricionista:
Luiza Miranda Campos – CRN: 9923